Notícias: Cidade

Chuva: Sobe para 150 o número de desabrigados no município

19_12_2013_17_15_49

As fortes chuvas registradas neste fim de semana elevou para 150 o número de desabrigados em Linhares. Todos foram levados para o Ginásio Poliesportivo do bairro Nossa Senhora da Conceição. O interior do município foi duramente castigado pelas águas no fim de semana. Várias comunidades estão isoladas devido à queda de barragens e estradas destruídas. Pelo menos 10 mil foram afetadas pelo temporal que não para desde o dia 15 desde mês. As regiões mais afetadas são Santo Hilário, São Rafael, Humaitá, Palmas, Bagueira, Don Orione, Chapadão das Palminhas, Japira, todas no interior de Linhares. Mais próximo do litoral, o problema maior está em Povoação, Regência, Brejo Grande e Degredo. A comunidade só consegue se deslocar com o uso de barcos ou canoas. A população ribeira de Povoação e também de Brejo Grande receberam cestas básicas neste fim de semana. Na manhã deste domingo, um helicóptero da Força Aérea Nacional chegou a Linhares para auxiliar no resgate e na entrega de mantimentos aos povoados que estão isolados. Um helicóptero da Polícia Militar também pousou no aeroporto municipal. Máquinas da prefeitura continuam trabalhando para abrir estradas e limpar barragens ao longo das vias que cortam o município.

Fonte: Prefeitura de Linhares

Enchentes podem ser maiores do que a de 1979, diz Incaper

DSC01087
As enchentes que vem sendo registradas no Estado durante a semana caminham para serem maiores do que a de 1979, em se tratando de números oficiais. A avaliação é do presidente do Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), Evair Vieira de Melo, que faz um alerta: dessa vez a chuva está mais distribuída e os recursos utilizados para fazer as medições, atualmente, são superiores aos da época.

“No momento não temos como comparar, mas em alguns lugares como em Barra de São Francisco e Rio Bananal a situação esteve muito mais agressiva do que na enchente de 79. O volume de água que estamos recebendo caminha para ser superior, mas há uma distribuição maior. Mas é preciso destacar que o nosso sistema de água, de drenagem, os pluviômetros, radares, o sistema de vazão de água, os nossos equipamentos nos dão melhores condições de medir os estragos hoje do que naquela época”, explica.

Na enchente de 1979, o Estado vivenciou mais de 30 dias de chuva forte e a quantidade de mortes ultrapassou a casa dos três dígitos. Regiões inteiras, como o Norte do Estado, ficaram isoladas. Atualmente, chove sem parar há uma semana e já foram registrados cinco mortes. Há comunidades ilhadas, mas não temos regiões inteiras isoladas.

Neste sábado (21), lugares que ainda não tinham sido afetados pelas águas, começaram a ser castigadas, segundo Evair. Domingos Martins, Santa Leopoldina, Santa Maria de Jetibá, Santa Teresa, Marechal Floriano, Itaguaçu, Itarana, São Roque do Canaã e Fundão foram os municípios mais afetados. Somam-se a eles, as cidades ribeirinhas da Bacia do Guandu, sendo elas Afonso Cláudio, Brejetuba e Laranja da Terra.

“Hoje (sábado), choveu em menor intensidade do que esperávamos para o dia, mas ainda estamos em alerta máximo até a madrugada de segunda-feira, 23. O alívio deve chegar apenas na terça-feira, 24”, afirma.

O presidente do Incaper alerta ainda para a grande quantidade de chuvas que vem sendo registrada nas cabeceiras dos rios Doce e Cricaré, em Minas Gerais. Com a forte chuva deste sábado, os rios Jucu e Santa Maria também foram afetados e aumentaram o volume de água. O alerta agora fica para as cidades ribeiras da Grande Vitória, que são banhados por essas bacias.

“Registramos uma maior concentração do volume de chuva nesses rios. Eles ainda não tinham sido abastecidos com uma grande quantidade de água. O nível não estava tão alto. Esperamos uma grande quantidade de água para essa madrugada (domingo), que vai aumentar mais ainda o nível desses rios”, afirma Evair.

A elevação das águas do Rio Cricaré já deixou ilhado o distrito de Guriri, em São Mateus. A ES 423 foi interditada nos dois sentidos por alagamentos. O mesmo rio interditou também a BR 101.

Alerta de deslizamentos

Se durante a semana o alerta maior era para as inundações, nos próximos dias as atenções devem ser voltadas para os deslizamentos, antecipa o Incaper. Os riscos de quedas de barreiras são maiores principalmente nas regiões Noroeste e Central-Serrana, nas regiões do Rio Doce, Jucu e Santa Maria.

“O solo está muito saturado com as chuvas que caem durante toda noite e dia, o que fez aumentar as quedas de barreiras, nas rodovias rurais, estaduais e federais. Pedimos aos motoristas que tomem muito cuidado, as estradas estão cada vez mais perigosas por causa desse fenômeno”, avisa Evair.

Previsão

As chuvas devem continuar neste domingo (22) e segunda-feira (23), com o dobro do volume. São esperados neste fim de semana até 470 milímetros de chuva em território capixaba. Em termos de comparação, nos últimos três dias os pluviômetros do Incaper registraram cerca de 200 milímetros em grande parte do Estado.

“A temperatura média continua alta, o que significa que as chuvas fortes para as próximas horas tendem a se confirmar. Entretanto, o impacto está minimizado, pois as chuvas estão distribuídas pelas regiões e bacias de rios diferentes. Apesar do volume alto, está melhor distribuído”, explica o presidente do Instituto.

Cuidados a serem tomados

Evair Vieira de Melo alerta a população que fique atenta ao que acontece em torno de suas residências. Para quem mora próximo a rios, a orientação é que as pessoas fiquem vigilantes se o nível de água está subindo. Caso isso seja percebido, primeiro passo é acionar a Defesa Civil, a Prefeitura, a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros. Não tenha dúvida sobre o aumento do volume da água, se esta subindo, desocupe imediatamente sua casa.

Já para quem mora em encostas, a orientação é de observar a estrutura da casa, dos barrancos, nascentes de água. Se o solo tem sinal de erosão, algo escorrendo ou diferente, acione os órgãos competentes e desocupe imediatamente o imóvel e procure o abrigo de sua cidade.

O presidente do Incaper afirma ainda que muitas regiões estão isoladas e mesmo os helicópteros acionados pelo Governo estão tendo dificuldade para pousar e fazer a ajuda humanitária.

A população que quiser ajudar os desabrigados, deve enviar à Polícia Militar água potável, comida não perecível e alimentos da cesta básica para crianças e adultos, medicamentos, colchões e coberturas

“O trabalho da sociedade é muito importante. É quase uma operação de guerra. Estamos mobilizados para prestar ajuda humanitária, e só depois que a chuva passar, parar para avaliar perdas e danos, ou se é a maior chuva de todos os tempos”, diz Evair.

Fonte: Gazeta Online

22 municípios se preparam para decretar situação de emergência no Estado

DSC01106

Três pessoas morreram e 19.776 precisaram deixar suas casas após as fortes chuvas que atingem o Espírito Santo desde a última segunda-feira (16).

De acordo com a Defesa Civil Estadual, 3.225 pessoas estão desabrigadas e 16.551 estão desalojadas. No interior do Estado, três pessoas morreram: uma em Colatina, uma em Nova Venécia e outra em Baixo Guandu.

Dos 40 municípios afetados, 22 municípios estão elaborando documentação para decretar situação de emergência ou estado de calamidade pública, devido às fortes chuvas: Água Doce do Norte, Rio Bananal, Castelo, Bom Jesus do Norte, Vargem Alta, Cachoeiro de Itapemirim, Ecoporanga, Mimoso do Sul, Laranja da Terra, São Domingos do Norte, Viana, Conceição do Castelo, Águia Branca, Alto Rio Novo, Barra de São Francisco, Nova Venécia, Ibatiba, São Gabriel da Palha, Pancas, Vila Pavão, Linhares e Mantenópolis.

Os 40 municípios mais afetados são: Cariacica, Viana, Vila Velha, Serra, Vitória, Afonso Claudio, Itaguaçu, Conceição do Castelo, Itarana, Muniz Freire, Santa Leopoldina, Santa Maria de Jetibá, Castelo, Laranja da Terra, Vargem Alta, Agua Doce do Norte, Águia Branca, Alto Rio Novo, Aracruz, Baixo Guandu, Barra de São Francisco, Colatina, Conceição da Barra, Fundão, João Neiva, Linhares, Ibiraçu, Mantenópolis, Nova Venécia, Pancas, Rio Bananal, São Domingos do Norte, São Mateus, Vila Pavão, Vila Valério, Bom Jesus do Norte, Cachoeiro de Itapemirim, Guarapari, Ibatiba e Jeronimo Monteiro.

Para prevenir desastres, a Secretaria Nacional de Defesa Civil emitiu alertas de inundação e deslizamento de terra para vários municípios. Os coordenadores de Defesa Civil dos municípios foram informados e estão de prontidão para, se necessário, retirar as pessoas da área de risco.

No site da Defesa Civil Estadual (www.defesacivil.es.gov.br), o cidadão consegue acessar todos os contatos das defesas civis municipais. A solicitação para atendimento também pode ser feita diretamente via Ciodes pelo número 193.

Imagens impressionantes das chuvas em Rio Bananal e Linhares

Exclusivo: Vídeo mostra locais alagados em Linhares

19_12_2013_17_15_49

Um vídeo produzido, nesta quinta-feira, dia 19, pela equipe da Prefeitura de Linhares mostra imagens aéreas da cidade alagada pelas chuvas desta semana. O prefeito Nozinho Correa sobrevoou o município em um helicóptero cedido pela Petrobras para avaliar as regiões atendidas.

O prefeito informou que nas localidades de Degredo, Povoação e Regência os moradores estão praticamente ilhados. Cerca de cinco mil pessoas foram afetadas pelas chuvas em Linhares. “Nessas regiões, cerca de 90% do pasto está alagado. Durante a vistoria, observamos que muitas represas do interior correm o risco de romper em virtude do nível de água acumulada”, diz o Nozinho.

 
Fonte: Prefeitura de Linhares

Em 72 horas, Brasil registra os maiores acumulados de chuva do planeta

37

A precipitação estimada nas últimas 72 horas pelo satélite Tropical Rainfall Measuring Mission (TRMM) da Agência Espacial Americana (NASA) foi bastante expressiva sobre parte do Brasil.
Em municípios do Espírito Santo, Minas Gerais, Bahia, Piauí, Pernambuco, Ceará, Maranhão, Tocantins, Goiás, Mato Grosso, Rondônia, Amazonas, Pará e Amazonas, o acumulado desde a última segunda-feira (16) superou os 100 milímetros, com destaque para as regiões de Linhares, no Espírito Santo, e Sorriso, em Mato Grosso, que pelas estimativas do satélite receberam entre 150 e 250 milímetros.
O litoral do Espírito Santo, em especifico, foi a região do planeta que mais registrou chuva nas últimas 72 horas ganhando até mesmo para regiões equatoriais da Ásia, onde também chove muito nesta época do ano.
No departamento de Beni, no leste da Bolívia, também houve registro de mais de 200 milímetros nos últimos dias, o que elevou gradativamente o nível dos rios Guaporé e Mamoré, no oeste de Rondônia.

 

 

Fonte: De Olho No Tempo Meteorologia

Três pessoas morrem por causa das chuvas no ES

DSC01095

Subiu para três o número de mortos pelas chuvas no Espírito Santo. Segundo boletim, divulgado pela Defesa Civil Estadual, no final da tarde desta quinta-feira (19), as mortes foram registradas nos municípios de Colatina, Nova Venécia e Baixo Guandu.  O número de pessoas afetadas pelas chuvas também aumentou. Ao todo, 18.415 capixabas precisaram deixar suas casas. Deste total, 2.197 estão desabrigadas, 16.218 desalojados. 3.042 edificações danificadas.

Além disso, 22 municípios estão elaborando documentação para decretar situação de anormalidade (Situação de Emergência ou Estado de Calamidade Pública). Entre os municípios estão: Água Doce do Norte, Rio Bananal, Castelo, Bom Jesus do Norte, Vargem Alta, Cachoeiro de Itapemirim, Ecoporanga, Mimoso do Sul, Laranja da Terra, São Domingos do Norte, Viana, Conceição do Castelo, Águia Branca, Alto Rio Novo, Barra de São Francisco, Nova Venécia, Ibatiba, São Gabriel da Palha, Pancas, Vila Pavão, Linhares, Mantenópolis.

Municípios afetados

De acordo com a Defesa Civil diversos municípios capixabas apresentam problema de inundação e deslizamentos de terra. A Defesa Civil informou ainda que chega a 40 o número de municípios que mais registraram danos com as chuvas. Entre eles estão: Cariacica, Viana, Vila Velha, Serra, Vitória, Afonso Claudio, Itaguaçu, Conceição do Castelo, Itarana, Muniz Freire, Santa Leopoldina, Santa Maria de Jetibá, Castelo, Laranja da Terra, Vargem Alta, Água Doce do Norte, Águia Branca, Alto Rio Novo, Aracruz, Baixo Guandu, Barra de São Francisco, Colatina, Conceição da Barra, Fundão, João Neiva, Linhares, Ibiraçu, Mantenópolis, Nova Venécia, Pancas, Rio Bananal, São Domingos do Norte, São Mateus, Vila Pavão, Vila Valério, Bom Jesus do Norte, Cachoeiro de Itapemirim, Guarapari, Ibatiba e Jeronimo Monteiro.

A Secretaria Nacional de Defesa Civil emitiu alertas de inundação e deslizamento de terra para vários municípios, com o objetivo de prevenir desastres. Os coordenadores de Defesa Civil dos municípios foram informados acerca dos procedimentos de avaliação contínua dessas áreas e, caso necessário, evacuação emergencial.

De acordo com o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), o município com mais volume de chuva é Linhares. No distrito de Ponta do Ipiranga, onde a situação é mais crítica, foram registrados 469,2 milímetros, entre a última segunda-feira (16) e esta quinta-feira (19).

A Defesa Civil Estadual mantém o auxilio aos órgãos municipais de proteção e defesa civil. No site da Defesa Civil Estadual (www.defesacivil.es.gov.br) o cidadão consegue acessar todos os contatos das defesas civis municipais. A solicitação para atendimento também pode ser feita diretamente via CIODES pelo número 193.

 Orientações da Defesa Civil em caso de chuvas

– Nesses casos, o mais importante é proteger a sua vida e de seus familiares. Encaminhe-se imediatamente para um lugar seguro;

– Fique atento a movimentações de terra. Trincas no chão, inclinação de cercas, postes e árvores podem indicar o início de um deslizamento. Abandone imediatamente sua casa e procure um local seguro;

– Se houver muita infiltração na casa e acontecer rachaduras nas paredes ou escutar algum barulho estranho, abandone sua residência;

– Tenha sempre em mãos os telefones da Defesa Civil de seu município;

– Em caso de emergências, ligue para o Corpo de Bombeiros. O telefone é o 193;

– Evite as áreas alagadas. Terrenos acidentados, buracos e bueiros abertos, assim como fiação elétrica exposta, podem causar acidentes graves;

– Ao término da enchente, busque orientação da Defesa Civil sobre o retorno para sua residência. É necessário limpar os locais atingidos por água e lama;

– Se a sua residência foi destruída durante a enchente, não retorne a construir no mesmo lugar, porque cedo ou tarde ocorrerá um novo desastre.

 

Fonte: Folha Vitória

Donativos começam a ser entregues em Rio Bananal

1463220_703408203005745_154278559_n
Nesta sexta-feira, (20), Rio Bananal, primeiro município a acionar o Governo do Espírito Santo, começa a receber donativos. Serãoentregues 300 colchões para serem distribuídos entre os desabrigados e desalojados.
Na sequência, outros itens como kits de limpeza e de higiene pessoal, bem como cobertores e cestas básicas também serãoentregues.
Para os que querem prestar solidariedade às vitimas das chuvas que têm caído no Espírito Santo nos últimos dias, o Governo doEstado indica alguns pontos para entrega de doações.
O secretário de Assistência Social e Direitos Humanos, Helder Salomão, informa que inicialmente as maiores necessidades são àguapotável e alimentos. “Para quem quer ajudar, em principio doe cestas básicas e água para que as pessoas tenham o que comer ebeber”, declarou Salomão.
Os municípios que estão recebendo as doações de populares são Colatina, Barra de São Francisco, Vitória, Vila Velha, Linhares e Nova Venécia.
Os demais municípios afetados pelas chuvas serão atendidos assim que enviarem ao Estado o número de vitimas e quais são as suasnecessidades.
Locais para doações
Barra de São Francisco – 11º Batalhão da Polícia Militar
Rua Vereador Antônio Roas Huebra, 293, Centro – Barra de São Francisco.
Tel: (27) 3756-8400
Linhares – 12º Batalhão da Polícia Militar
Rua Washignton Luiz, 599, José Rodrigues Maciel – Linhares.
Tel: (27) 3372 – 7853
Vila Velha – 4º Batalhão da Polícia Militar
Av. Nossa Senhora da Penha, 118, Ibes – Vila Velha.
Tel: (27) 3636-0400
Nova Venécia – 2º Batalhão da Polícia Militar
Av. Guanabara, 40, Iolanda – Nova Venécia.
Tel: (27) 3752-4200
Vitória – 1º Batalhão da Polícia Militar
Av. Maruípe, 2.115, Maruípe – Vitória.
Tel: (27) 3636-7306
Colatina – Escola Estadual Honório Fraga
Rua Aparecida, 214, São Silvano – Colatina.

Chuvas: Situação de Linhares é caótica

19_12_2013_17_15_49

O prefeito Nozinho Correa reuniu na tarde quinta-feira, 19, secretários municipais e vereadores para discutir e avaliar os estragos causados pelas chuvas e, consequentemente, a elevação do nível de água do Rio Doce. O encontro aconteceu no Setor de Habitação. Antes, Nozinho sobrevoou o município em um helicóptero cedido pela Petrobras para avaliar as regiões atendidas.

O prefeito informou que nas localidades de Degredo, Povoação e Regência os moradores estão praticamente ilhados. Cerca de cinco mil pessoas foram afetadas pelas chuvas em Linhares. “Nessas regiões, cerca de 90% do pasto está alagado. Durante a vistoria, observamos que muitas represas do interior correm o risco de romper em virtude do nível de água acumulada”, diz o Nozinho.

Os governos estadual e federal já se colocaram à disposição do município. As equipes da prefeitura estão monitorando as áreas críticas, e caso seja necessário, será decretado estado de emergência. Profissionais das secretarias municipais estão realizando um trabalho de suporte junto aos 91 moradores desabrigados com a prestação de serviços assistenciais. Todos foram encaminhados para o ginásio poliesportivo “Leandro Arpini”, no bairro Conceição, onde estão sendo atendidos por assistentes sociais, médicos e enfermeiros. No mesmo espaço, eles recebem alimentação diária e roupas.

A prefeitura está arrecadando donativos para atender os moradores das áreas críticas que tiveram de deixar seus imóveis. As doações de alimentos não perecíveis, roupas de uso pessoal e de cama podem ser feitas na Secretaria Municipal de Agricultura, Aquicultura, Pecuária e Abastecimento, localizada na avenida Governador Lindemberg, 1313, Centro.

Alguns dos locais atingidos:

Zona Urbana:

Olaria

Interlagos

Santa Cruz

Planalto

 

Comunidades da zona Rural

Córrego

Piabanha

Pedrolândia

Terra Alta

Santo Hilário

Dom Orione

São Rafael

 

Balneários:

Pontal

Povoação

Degredo

Regência

 

Fonte: Prefeitura de Linhares

Mais de 16 mil capixabas já deixaram suas casas devido às chuvas

DSC01124

Subiu para 16.303 o número de capixabas que deixaram suas residências devido às fortes chuvas que atingem todo estado do Espírito Santo. De acordo com o último boletim divulgado pela Defesa Civil, 1.768 pessoas estão desabrigadas, 14.535 desalojadas e 2.767 edificações ficaram danificadas. Duas pessoas morreram, em Colatina e em Nova Venécia.

Segundo o boletim, nove municípios – Rio Bananal, Castelo, Bom Jesus do Norte, Vargem Alta, Cachoeiro de Itapemirim, Ecoporanga, Mimoso do Sul, Laranja da Terra e São Domingos do Norte – preparam a documentação para decretar situação de anormalidade – situação de emergência ou estado de calamidade pública -, devido às fortes chuvas.

Entre os 33 municípios mais afetados pelas chuvas estão Cariacica, Vitória, Viana, Vila Velha, Conceição do Castelo, Barra de São Francisco, Aracruz, Linhares, São Mateus, Vargem Alta, Vila Velha e Santa Leopoldina. A Secretaria Nacional de Defesa Civil emitiu alerta de inundação e de deslizamento de terra para vários municípios.

De acordo com o Instituto Capixaba de Pesquisa e Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), apesar da previsão de que o tempo melhore nesta quinta-feira (19) e amanhã, a chuva continua no estado, em menor intensidade, e pode causar transtornos em determinados pontos devido ao grande volume de precipitação observado nos últimos dias.

A Secretaria Nacional de Defesa Civil emitiu hoje (19) um alerta de risco máximo de alagamento em Santa Leopoldina. Também emitiu alerta de risco muito alto e risco alto de inundação e deslizamento de terra para vários municípios, com o objetivo de prevenir desastres.

A orientação que a Defesa Civil dá a população é que, em caso de emergência, entre em contato com os órgãos para que sejam tomadas as medidas necessárias que minimizem os impactos causados pelas chuvas.

Fonte: Agência Brasil